.header .flex-row { z-index: 99; }

A bovinocultura leiteira é um dos ramos agrícolas que mais vem sendo beneficiada com a tecnologia, sendo na facilidade de ordenha através da robotização, bem como em opções que fornecem alimentos completos e de bem-estar do animal para garantir alta produtividade.  Fato que igualmente se aplica para a bovinocultura de corte.

Ambientalmente, a problemática relacionada a atividade está na geração de dejetos líquidos. O volume de dejetos gerados por animal é variável, porém estima-se que a produção seja equivalente a 10% do peso corporal. Estes dejetos, se forem destinados de forma errônea, podem causar a contaminação do solo, bem como de águas superficiais e subterrâneas.

Desta forma, no Rio Grande do Sul, a FEPAM – Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler – estabeleceu algumas normas para o licenciamento ambiental de bovinos, onde incluiu restrições e condições que devem ser seguidas para evitar qualquer impacto ao meio ambiente. Com isso, o produtor rural tem a oportunidade de utilizar os dejetos como potencial fertilizante de lavouras, com maior qualidade e ainda evitar impactos à vizinhança, através dos odores.

A equipe da TopMine Engenharia, qualificada para lhe atender em todos os segmentos agrossilvipastoris, está à disposição para auxiliar na melhor forma de tratar os dejetos líquidos, bem como obter licenciamento prévio, de instalação, operação ou ainda a regularização de seu empreendimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Este website utiliza cookies para a sua melhor experiência. Se você estiver de acordo basta clicar em "Concordo!", você pode saber mais sobre quais cookies utilizamos.